bodrum escort bayan dls 2021 mod apk not pdf email account free wordpress themes

Apreenderam o livro errado!

Apreenderam o livro errado!
vlcsnap-2014-05-16-14h15m47s244

vlcsnap-2014-05-16-14h15m01s28Um caso inusitado que envolve a Romano Torres foi recentemente relembrado pelo escritor e jornalista Artur Portela, em tertúlia sobre a censura [1].

A história conta-se em poucas palavras: o livro de estreia de Artur Portela, Feira das vaidades, de 1959, tinha o mesmo título do romance do romântico inglês William Thackeray, publicado pela Romano Torres. Tendo o livro de Portela sido proibido de circular pela censura de Salazar, foi apreendido pela polícia política, já em 1960 [2]. Sucede que os agentes que foram às livrarias se enganaram e começaram a confiscar exemplares do livro editado pela Romano Torres, tendo criado uma irónica confusão.

Este caso surge gostosamente contado pelo mesmo Artur Portela no documentário Lápis azul, realizado por Rafael Antunes em 2012. Uma parte desse relato é acompanhada por uma breve animação muito interessante. Por cortesia do cineasta, divulgamos aqui esse curto trecho do documentário [3].

A Romano Torres fez a sua 1.ª edição do romance de Thackeray em 1946, sendo a 2.ª edição de 1953. O romance foi traduzido por Leyguarda Ferreira e acompanhado por uma análise à produção desse autor por Gentil Marques. Curiosamente, uma tradução anterior desse romance para outra editora fora feita por um colaborador da Romano Torres, Eduardo de Noronha.

O livro de Artur Portela foi editado pela Atlântida, de Coimbra. A continuação foi já editada pela Ática, de Lisboa. Artur Portela é também conhecido como , para diferenciar de seu pai, Artur Portela, também ele um jornalista colaborador do Diário de Lisboa.

Daniel Melo © 2014

 

 

Bibliografia:

Thackeray, William M., Feira das vaidades: romance; versão livre do original inglês de Leyguarda Ferreira; precedido duma pequena história da literatura inglesa de William Thackeray por Gentil Marques. – Lisboa: João Romano Torres, imp. 1946. – 346, [4] p. 20 cm. – (Obras escolhidas de autores escolhidos; 5).
Localização: B.R. 3267 – 000724/2013, L. 37378 P. – 000725/2013, BC 3620 – 000726/2013 [BNP]

Thackeray, William M., Feira das vaidades: romance; versão livre do original inglês de Leyguarda Ferreira; precedido de uma “pequena história de literatura inglesa até William Thackeray” por Gentil Marques. – 2.ª ed. – Lisboa: Romano Torres, 1953. – 293, [11] p. 20 cm. – (Obras escolhidas de autores escolhidos; 5).
Localização: L. 42094 P. – 000905/2013, L. 95329 P. – 000906/2013, 820 THA VA – 000907/2013 [BNP]

Portela Filho, Artur, Feira das vaidades. – Coimbra: Atlântida, 1959. – 185 p., [1] f. ; 17 cm. – (Centauro; 6).
Localização: L. 50122 P. [BNP]

Portela Filho, Artur, Nova feira das vaidades. – Lisboa: Ática, 1960. – 181 p., [3] f. ; 17 cm.
Localização: L. 51624 P. [BNP]

 

Outras fontes informativas:

Sítio de internet Lápis azul, do cineasta Rafael Antunes, relativo ao projecto homónimo, com menção directa ao caso aqui.

 


[1] A tertúlia, intitulada «As marcas que a censura nos deixou», decorreu na Casa da Covilhã no serão de 24 de Abril de 2014 e contou com as intervenções de Rafael Antunes (realizador do filme de ficção e do documentário Lápis azul), do autor deste post e de Anselmo Crespo (jornalista da SIC e moderador), além do Artur Portela. Esta sessão foi organizada pelo grupo cultural As Gaiatas em Lisboa.

[2] A crer na primeira data extrema do processo específico constante no Fundo do SNI (“Apreensão do livro «Feira das Vaidades»”, PT/TT/SNI-DSC/19/265), à guarda da Direcção-Geral de Arquivos.

[3] O documentário Lápis Azul, de Rafael Antunes, foi feito no âmbito da dissertação de mestrado em Etudos Cinematográficos da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>