bodrum escort bayan dls 2021 mod apk not pdf email account free wordpress themes

Autor

Autor
Antonio-Maria-Campos-Junior-2
António Maria de Campos Júnior

António Maria de Campos Júnior

António Maria de Campos Júnior
(Angra do Heroísmo, 1850 – Marinha Grande, 1917)

Açoriano de nascimento, mudou-se com oito anos para Leiria, onde acaba por ingressa na carreira militar. É transferido para Lisboa por intervenção do seu amigo Afonso Xavier Lopes Vieira, pai do poeta Afonso Lopes Vieira. É ainda em Leiria que escreve O marechal Saldanha: ontem e hoje (1870), mas só em Lisboa a sua carreira literária tem espaço para crescer.
Na capital, filia-se primeiro no Partido Regenerador e depois na Esquerda Dinástica, empregando-se também como redactor nos jornais Diário de Notícias, Revolução de Setembro e principalmente O Século. Este último publica muitas das suas obras em folhetim antes de o serem em livro. Dedica-se quase exclusivamente à história, embora tenha escrito a peça Torpeza (1891) sobre o Ultimato inglês de 1890.
Os seus romances ficcionalizam acontecimentos e personagens importantes da história portuguesa, nomeadamente: O marquês de Pombal (Tipografia da Empresa do jornal O Século [1899]), Luís de Camões (Tipografia da Empresa do jornal O Século [1900]), Guerreiro e monge (Tipografia da Empresa do jornal O Século [3.ª ed. 1901]), etc.
Casa-se com D. Maria das Dores Ferreira, natural da Marinha Grande, e volta a Leiria, onde dirige o semanário Distrito de Leiria. Depois da implantação da República muda-se por fim para a Marinha Grande.
Publicou apenas uma obra em vida na Romano Torres, o romance histórico A rainha-madrasta (1911). Postumamente, muitos dos romances históricos que haviam sido publicados na tipografia de O Século, como O guerreiro e monge, são reeditados pela Romano Torres.

Ler mais