bodrum escort bayan dls 2021 mod apk not pdf email account free wordpress themes

Eugénio Silva: a última geração de ilustradores da Romano Torres

Eugénio Silva: a última geração de ilustradores da Romano Torres
Eugenio-Pepe-Silva-2
Eugénio Pepe Silva

Eugénio Pepe Silva

Eugénio Rafael Pepe da Silva
(Barreiro, 1937)

 

Eugénio da Silva notabilizou-se como publicista, ilustrador e autor de banda desenhada.

Iniciou a sua vida profissional na Litografia Amorim, depois de ter concluído o curso secundário na Escola de Artes Decorativas António Arroio, em 1954. Trabalhou na CUF como desenhador de tapetes. Em 1966 começou a sua carreira de publicista.

Começou a trabalhar como ilustrador muito cedo, pouco depois de concluir os estudos na António Arroio. Colaborou com a Romano Torres a partir de 1954 através da Litografia Amorim, ilustrando títulos como O anão de pedra (1956), de Arlete de Oliveira Guimarães, e A gata borralheira (1956), de Leyguarda Ferreira, inseridos na colecção «Manecas».

É importante distinguir entre ilustração do miolo e ilustração da capa. De facto, muitas vezes dá-se o caso de um ilustrador trabalhar o interior do texto, enquanto outro trabalha a capa. No caso dos dois livros citados, Eugénio Silva foi responsável pelo miolo, sendo a capa de autoria de Júlio de Amorim.

Foi porventura como ilustrador da colecção «Manecas» que Eugénio Silva mais se destacou na Romano Torres, embora tenha ilustrado também capas e desenhos interiores da colecção «Salgari», por exemplo a 6.ª edição de A montanha de luz (1981). Fora destas duas colecções, ilustrou apenas a 8.ª edição de A Cabana do Pai Tomás.

 

Ler mais